A Viagem do Heroi

Nas palavras de Joseph Campbell, que estudou a estrutura do mito em diversas culturas humanas, a jornada do herói é sintetizada:

“Um herói aventura-se do mundo comum do dia-a-dia para uma região de maravilha sobrenatural. São encontradas forças fabulosas e é vencida uma vitória decisiva. O herói volta desta misteriosa aventura com o poder de conceder graças aos seus semelhantes. “

Um exemplo moderno da jornada do herói é a saga “Star Wars”.

Devido à morte da sua familia adotiva às mãos do Império, Luke Skywalker é impelido da sua existência mundana para um percurso mágico. Com a ajuda de um guia e mentor, Obi-Wan Kenobi, e posteriormente, de Yoda, o jovem herói batalha com demónios interiores e transforma-se num guerreiro Jedi.

No decurso das suas aventuras Luke descobre a sua familia original, ativa o poder dentro de si, e salva todo o universo.

Luke Skywalker, o jovem herói.

Menos apreciado é a existência nesta narrativa de uma segunda Jornada do Herói, neste caso do pai de Luke Skywalker, Darth Vader.

Darth Vader é o herói que caiu em tentação e se perdeu na sua viagem.

Nesta segunda narrativa, tendo por preço o sacrificio supremo da sua vida, e utilizando um recurso escondido e esquecido – o do amor pelo seu filho – o herói caído consegue completar por fim a sua jornada, atingindo a redenção.

O sucesso desta saga reflete que todos nós, num momento da nossa vida, muitas vezes por acontecimentos externos que nos transcendem somos levados a iniciar a nossa própria jornada do herói.

Ao longo do nosso ciclo de vida há alguns momentos em que, por iniciativa própria ou eventos externos, somos impelidos da vida que conhecemos, para iniciar uma viagem do herói.

Ao aceitarmos esse chamamento encontramos os guias que nos irão ajudar a enfrentar os nossos medos e dragões e a atravessar o abismo. No final, voltamos para casa e partilhamos as graças que nos foram concedidas pelos deuses, nesta nossa viagem com aqueles que partilham a nossa vida.

Alguns dos heróis que conheço e admiro.